Antes mesmo de entendermos qual a contribuição da educação lúdica para o desenvolvimento do ensino e da aprendizagem, torna-se necessário entendermos exatamente o que venha se o “lúdico”. Airton Negrine em seu livro “Aprendizagem e desenvolvimento infantil” deu uma definição quase poética sobre o que venha a ser o lúdico.

Para ele, o lúdico se refere a uma dimensão humana que evoca os sentimentos de liberdade e espontaneidade de ação. Abrange atividades despretensiosas, descontraídas e desobrigadas de toda e qualquer espécie de intencionalidade ou vontade alheia, sendo livre de pressões e avaliações. Na escola, as atividades lúdicas são trabalhadas por meio de jogos, brincadeiras, músicas, oficina de fantoches entre outros. Acompanhe este post e conheça alguns benefícios da prática lúdica para educação.

Desenvolve a percepção

Quem já não ouviu um professor mais sisudo dizer que “agora não é hora para brincadeiras”. Pois na educação lúdica, toda hora é hora de brincar. A brincadeira de um modo em geral se refere ao comportamento espontâneo resultante de atividades não estruturadas.

É exatamente essa liberdade de imaginação e ação que desperta na criança uma percepção mais aguçada. A vida é bem mais complexa que nossas rações e objetividade podem suportar.  Para ultrapassar o limite do óbvio torna-se necessário ser capaz de perceber o mundo à sua volta, de uma maneira mais completa envolvendo imaginação, razão e emoção.

Amplia a comunicação

Não é à toa que muitos profissionais utilizam a educação lúdica no tratamento do autismo, um transtorno caracterizado, dentre outros aspectos, pelo comprometimento da imaginação e pela dificuldade na comunicação.

Quando utilizamos músicas, jogos e brincadeiras no processo de ensino e aprendizagem estamos na verdade despertando a capacidade da criança em expressar, analisar, criticar e transformar a realidade. Outro benefício claro a ser observado diz respeito à capacidade de socialização, ampliando as formas de comunicação da criança.

Desperta a criatividade

A criatividade é uma qualidade presente em quase todos os grandes profissionais de sucesso. O que seria da tecnologia e da inovação sem pessoas capazes de sair da caixinha para criar algo novo ou inusitado? A criatividade deve ser estimulada ainda na infância.

A educação lúdica possui um importante papel nesse processo, pois através dela é possível criar experiências inteligentes e reflexivas envoltas em emoção, prazer e seriedade.

O ensino lúdico não é apenas um passatempo ou uma simples diversão, mas um momento sério, onde a criança é capaz de aprender sozinha, descobrindo o mundo e as pessoas a sua volta.  

Avaliação comportamental

Muitos psicólogos se utilizam de brincadeiras e jogos para conseguir descobrir traumas e problemas pelos quais a criança esteja atravessando. Brincando, pintando ou jogando a criança deixa escapar coisas profundas que estão presentes em sua alma. Na escola não é diferente, um comportamento agressivo durante as brincadeiras pode representar um problema que precisa ser desvendado para que enfim a criança possa ser ajudada.

Uma atividade curricular

As brincadeiras e os jogos no contexto lúdico devem ser praticados e observados como uma atividade curricular e não apenas como uma prática para ser realizada durante o recreio e fora da sala de aula. A educação lúdica pode e deve ser parte de um todo, pois a comunicação, a emoção, a percepção e a criatividade estão presentes em todas as disciplinas exigidas no currículo escolar.

Leia também:

Como manter o controle emocional e a disciplina em sala de aula.

Como prender atenção dos alunos em sala de aula.

 

Deixe uma resposta