O Mercado Educacional brasileiro passa por um momento de grande reestruturação voltado para fusões, aquisições e altos investimentos. No que diz respeito a instituições privadas e grandes universidades públicas o que se vê é a consolidação de um novo formato de negócio capaz de melhorar a qualidade do ensino e o acesso à educação.

No entanto, à medida que o setor se desenvolve torna-se necessário buscar profissionais qualificados com um perfil diferenciado. Neste post vamos entender um pouco mais esse processo para saber como buscar uma qualificação que atenda às demandas do mercado educacional.

O peso do diploma

Nas últimas décadas, a formação do professor no Brasil passou por grandes transformações. Antigamente bastava que o profissional fizesse magistério para conseguir dar aulas no ensino fundamental e em alguns estados até mesmo no ensino médio.

Atualmente um professor com magistério só consegue ministrar aulas na pré-escola. Para atuar nos primeiros anos do ensino fundamental é preciso ter o normal superior ou a graduação em pedagogia. Profissionais com diploma pedagogia também podem atuar em cargos de gestão e direção. Diploma de pós-graduação é considerado um diferencial competitivo.

Inovação e criatividade

A qualificação do profissional da educacional precisa estar voltada para a criatividade e para inovação. Essa formação irá ajudá-lo a enfrentar as dificuldades encontradas na educação brasileira. Além de alunos desmotivados e escolas públicas sucateadas os profissionais da educação precisam lidar com a violência cada vez mais presente em sala de aula.

Para conseguir driblar todos esses problemas o professor precisa ter uma boa dose de criatividade. Aulas mais dinâmicas desenvolvidas com a participação ativa dos alunos costumam prender a atenção dos estudantes. A tecnologia também é um grande facilitador do ensino e aprendizado, sendo utilizado através de jogos e brincadeiras. É possível, por exemplo, visitar um museu virtual para ilustrar uma aula de história.

Déficit de professor

Uma pesquisa realizada pelo Tribunal de Contas da União (TCU)  mostrou que faltam mais de 30 mil professores com formação específica apenas no Ensino Médio. Somente em Minas Gerais, são 3,9 mil professores a menos, sendo que a situação mais grave no país é entre os professores de Física. São quase 10 mil profissionais a menos que a demanda do mercado. Química e Sociologia tem um déficit de mais de 9 mil professores.

As três disciplinas juntas representam 59% do déficit. Esta é uma péssima notícia para os estudantes, mas uma boa notícia para profissionais que querem entrar no setor. Se qualificar em áreas de grande carência no mercado é uma garantia que não lhe faltará colocação.

Instituição de ensino

Uma instituição de ensino responsável por capacitar profissionais da educação, precisa estar atenta às mudas sociais e ao desenvolvimento tecnológico. A grade curricular precisa estar em constante atualização para atender as demandas impostas pela sociedade e pelo mercado de trabalho.

Antes de escolher em que instituição de ensino estudar, o profissional da educação precisa avaliar a linha pedagógica da instituição para compreender como a faculdade ou universidade entende a educação. Avalie também a infraestrutura oferecida. Tudo isso vai influenciar no profissional que você vai se tornar.

Leia também:

Educação lúdica: saiba como essa técnica amplia o aprendizado do aluno.

Deixe uma resposta